vineri, februarie 27, 2004

Limp Bizkit ..



.. e quero aproveitar para agradecer ao grande fred durst (na imagem a cima) por mais uma vez demonstrar o grande ser humano que é. De facto hoje ao ouvir a reportagem da antena3 no local do concerto da sua super banda os Limp Bizkit, deparei-me com o magnificio cenário que é sentir o publico deste tipo de espéctaculos! É fabuloso ver criancinhas de 10 anos juntamente com os seus pais para ver o concerto, chegando mesmo um senhor paizinho a dizer, "então, eles vieram connosco ver rolling stones em coimbra e então viemos com eles ver este concerto..." - É incrivel.. e acho que devemos estar todos gratos a fred durst por conseguir por de novo de pé o grande espirito familiar, dos passeios à sexta feira pelo parque das nações, das idas ao cinema para ver o novo fime da Disney, ou em algumas familias mais arrojadas para irem ver o magnifico espéctaculo das "Dançarinas Russas no Gelo".

Continua amiguinho.......

miercuri, februarie 25, 2004

Nick Cave - Centro Cultural de Belém - 24 de Fevereiro de 2004



SETLIST:
"Wonderful Life"
"Sad Waters"
"Hallelujah"
"The Singer" (cover de Johnny Cash)
"Henry Lee"
"Dolphins" (cover de Fred Neil)
"Do You Love Me Pt.2"
"West Country Girl"
"The Mercy Seat"
"God Is In The House"
"Still In Love"
"The Ship Song"
"Wild World" (cover de Birthday Party)

"Lucy"
"Into My Arms"
"Stagger Lee"

"Rock Of Gibraltar"
"Jack The Ripper"

"Love Letter"

3 Encores, os aplausos mais ruidosos e merecidos que alguma vez já ouvi, versões fantásticas de clássicos de Nick Cave e ainda um doce para os mais saudosistas e aguerridos fans, uma versão fabulosa de Wild World dos Birthday Party, que teria fechado o concerto não fosse a teimosia do público que fiel ao seu artista, e ainda meio embasbacado com aquilo que acabara de assistir, não arredando pé e retribuindo a actuação com uma ovação que terá durado seguramente uns 5 minustos até que Nick Cave regressasse.
Desenganem-se aqueles que pensaram por um segundo só (grupo no qual me incluo) que o concerto seria algo mais “manso” visto o line up escolhido basear-se apenas num violinista (Warren Ellis), num baixista (Martyn Casey) e num baterista (Jim Sclavunos), sentado ao piano Nick Cave não esquece aquilo que fez dele o artista que é, e a mesma raiva, dedicação e inspiração mantêm-se presentes. O concerto abre com Wonderful Life, e logo de seguida Sad Waters, se dúvidas restassem aquele estava predestinado ser um grande concerto. Seguem-se versões arrepiantes de Henry Lee, Do You Love Me (part 2), West Country Girl, Mercy Seat, Jack The Ripper, Love Letter e o meu dia estava ganho!! Poder assistir a tamanha actuação de um artista tão grande, numa segunda fila, e poder observar todos os aspectos desta música densa e vivida, torna-me também a mim uma pessoa mais rica. E acho que cada um de nós que assistiu ao concerto poderá dizer o mesmo, naquelas cadeiras, ou em pé, arrepiando-se a cada acorde, a cada palavra, a cada gesto de Cave, sentindo-se embalado e hipnotizado pelo violino Ellis, que teve uma prestação sublime, em constante “despique” com Cave, cada um urrando e esperneando-se, com a música a viver dentro dos seus corpos…. Impossível ficar indiferente…..
Aquilo que sempre admirei em Nick Cave, fica mais explícito e claro; este é um artista cuja música é a sua própria identidade, interpretando-a como tal, como se dependesse de cada um daqueles acordes para respirar e se levantar a cada dia. A sinceridade e coragem com que Cave se entrega ao seu publico e à sua música são incrivelmente comoventes e eu não consigo fazer outra coisa senão retribuir com as salvas de palmas mais sentidas que alguma vez dei, ou mantendo-me em pé e sempre sem cessar até que possa ter mais um pouco, quase como se a partir daquele momento também eu dependesse daquela música para respirar, porque de certa forma também ela já faz parte de mim, e também já conta histórias minhas.
As músicas essas, guardo-as na memória, a prestação irá ficar para sempre marcada, e quem esteve lá sabe do que falo, quem não esteve jamais terá uma pequena ideia daquilo que ontem se passou naquela sala! A menos que já tenha visto o artista em qualquer outro espectáculo, no entanto estou em crer que aquele foi um concerto muito especial e que daquilo não se vê todos os dias.

luni, februarie 23, 2004

John Parish - How Animals Move



Espanta-me como é que este àlbum continua na obscuridade!! um punhado de excelentes músicas, em modo cinematográfico como está mt em voga nas bandas de vanguarda dos nossos tempos, mas com um perfume, e um sabor absolutamente únicos! Recomenda-se vivamente uma escuta que certamente se vai tornar em milhares de escutas.....
Ah! e como cereja em cima do bolo, ou brinde do bolo rei, a pj harvey tem uma singela participação neste disco :)

Nick Cave CCB




É AMANHA!!!!!!!!!!
está quse :)

joi, februarie 19, 2004

Quinteto Tati

Mais uma noite em cheio no frágil! Ontem, quarta feira, o Quinteto Tati apresentou-se no frágil a uma plateia bastante bem composta, talvez chamada pelo nome J.P. Simões que nos tem surpreendido expressando todo o seu "ser" artístico e poético em todos os projectos em que se envolve. J.P., único, poético comunicativo e sempre com uma grande dose de humor algo sarcástico vai-nos explicando o significado das músicas e pedindo desculpa pois segundo ele não houve mt tempo para preparar o concerto e aquela é a primeira aparição da banda - "não serve de desculpa pois nao!?". Pode n servir de desculpa mas o publico mesmo apesar da insegurança que os músicos ainda transmitem nos seus temas, e apesar dos contratempos no som que teima em não chegar em condições a todos os que se encontravam no bar, vai sendo efeitiçado e aquilo que poderia ter sido o naufrágio da banda acabou por se tornar na sua salvação, terminando assim o concerto com a banda a receber uma merecida ovação final e forçada a repetir um tema do alinhamento do concerto pq o publico queria mais. Pode ainda n ter sido o concerto de afirmação do projecto mas as músicas falam por si, são músicas humanas, feitas por humanos, com vivências humanas neste nosso mundo contemporâneo - segundo o próprio JP todas escritas no ano 2003. Musicalmente a banda constroi uma mão cheia de temas bem delineados com um certo sabor a cabaret e com influências que remontam ao jazz dos anos 40/50; no entanto é nas letras que surge a mais valia do projecto e essas meus amigos, têm muito que se lhe diga, esperemos então por melhores dias para podermos absorver toda a magia deste Quinteto Tati.

marți, februarie 17, 2004

estou a ouvir isto pela primeira x

bem.. o inicio promete! promete ser tão viciante como o primeiro!!... conclusões em breve! começo quase a gostar mais disto do que de GYBE!!

luni, februarie 16, 2004

Quinteto Tati

Esta quarta feira no frágil actua o Quinteto Tati, banda de dois elementos dos Belle Chase Hotel e que merece sem sombra de duvidas uma visita até ao bar do bairro alto pq o concerto promete muito!

Apareçam que n se vão arrepender!

miercuri, februarie 11, 2004

O programa dos encalhados americanos giros e burros!



alguem que me explique a piada disto!!!
encalhado sou eu e n faço figuras destas!!!!

EU NÃO VOU



tenho dito!

duminică, februarie 08, 2004

apenas um linkzito para entreter!

vineri, februarie 06, 2004

a palavra a Rodrigo Nogueira!!

Mogwai no Paradise Garage


Os mogwai apresentaram-se ontem à noite no Paradise Garage, um concerto há muito aguardado e que concretizou assim a segunda visita desta banda ao nosso país. Um concerto bastante interessante. A sensação de sermos absorvidos por músicas com a capacidade emotiva de Hunted By a Freak, ou You Don't Know Jesus, Fear Satan ou Helicon é fabulosa, no entanto confesso que concerto a mim só me agarrou mesmo até à quinta música. As causas!?, bem talvez o facto de termos levado com uma primeira parte que foi uma grandessíssima seca, de já estar há uma hora em pé quando os mogwai finalmente entraram, as próprias condições da sala que acusticamente talvez não fossem as melhores e o exagero do técnico no nivel de décibeis, tenham ajudado para que não tivesse conseguido gozar o concerto na sua totalidade. Parece-me que uma sala como a Aula Magna teria sido uma muito melhor escolha para esta banda. Para concluir a banda ao vivo reforçou tudo aquilo que eu já havia pensado a ouvir os albuns, são bons de facto, e criam ambiencias fantásticas, mas acabam por cair um bocado na sua própria formula e não têm demonstrado grande capacidade para alterar esse caminho.
Em resumo um bom concerto, com bons momentos, outros nem tanto, e muito prejudicado pelo som.

joi, februarie 05, 2004

The Filth & the Fury

Para quem hoje n vai ver mogwai existe um bom motivo para ficarem colados à TV. Hoje na RTP1 transmitem o clássico "The Filth & the Fury", video que documenta a explosiva existência de uma das bandas mais revoltas de sempre... os Sex Pistols...
A transmissão do documentário assinala o vigéssimo quinto aniversário da morte de Sid Vicious.

marți, februarie 03, 2004

TêVê!!

A decadência dos programa televisivos das tardes dos dias de semana é ainda maior que a qq outra hora do dia!!! e eu que achava que as telenovelas da tvi eram decadentes!! há já muito tempo que n passava uma tarde em casa e hoje deparei-me este cenário horripilante !! programas sem sal, e com um incrivel mau gosto, espalham-se pelos pequenos difusores espalhados pela nossa nação e entram directamente nas mentes das empregadas domésticas, avózinhas, avôzinhos, crianças, e outros potenciais espectadores, convidando à apatia do tanto faz.... Vejo-me forçado a concordar com o artigo de Miguel Esteves Cardoso no ultimo blitz incentivando o combate a má música - eu vou mais longe, é preciso combater o mau gosto neste país! de uma x por todas, isto destroi celulas cerebrais, é muito pior que qq tipo de droga, e afunda a economia do país! De uma x por todas exijo aos grandes responsáveis do nosso país que proibam estes programas exilem os seus "fazedores" num país extrangeiro, bem longe daqui, de preferência numa ilha deserta.